Ser Espiritualmente Independente

10 de julho de 2016

Discurso proferido por Adryán Lima, vice-presidente, Afirmação: Mórmons LGBT, famílias e amigos na conferência Afirmação em Londres, sábado, 11 de junho de 2016
Sinto-me muito grato esta manhã por estar neste país. Devo reconhecer e estender meus agradecimentos aos membros da Affirmation que, ao longo de mais de 37 anos, fizeram contribuições de todos os tipos e, graças a elas, estamos alcançando uma presença global. Obrigado John Gustav-Wrathall e Randall Thacker porque sei o quanto é especial para vocês estar na Europa, a origem de seus ancestrais.

Em 2000, no início do novo milênio, consegui terminar meus estudos em Economia, e durante os cinco anos de meus estudos a influência de pensadores e professores da economia mais importante para mim foram os ingleses. É um país modelo que admiro muito. Eu não posso acreditar que estou aqui no maravilhoso Reino Unido. É com isso que gostaria de iniciar minha mensagem.

Quando a moeda comum da União Europeia foi criada, para surpresa da Europa, o Reino Unido disse: “Espere, espere, não vamos fazer isso”. Em 1992, com o Tratado de Maastricht, o Reino Unido obteve uma cláusula de isenção em que o Reino Unido não era obrigado a entrar na moeda comum do euro.

Aprender sobre esse ato de desafio do Reino Unido me impactou vividamente durante a faculdade e moldou meu pensamento sobre a vida de várias maneiras, ao me ensinar algo. Só porque outros fazem algo que parece “bom” ou parece “bom para todos”, isso não significa que devemos dizer imediatamente: “Bem, devemos fazer também.” Aprendi com o inglês que quando alguém diz “seja o primeiro”, não há problema em parar e dizer: “Não, vou esperar e ser o segundo”.

O Reino Unido tinha um sistema econômico estável que não queria misturar com outras economias que poderiam desestabilizá-lo. A sua substância económica tinha uma razão de ser e não podia pôr em risco o que durante centenas de anos a levara a ser uma das economias mais estáveis e também um exemplo para outras economias. Não demorou muito para que outras economias com finanças públicas instáveis ou dívida pública afetassem a estabilidade do euro e afetassem outros países.

Hoje com este exemplo quero começar meu discurso. Desde minha infância, tive uma variedade de influências religiosas e espirituais. Estudando em uma escola de freiras católicas da Ordem da Virgem Maria do Perpétuo Socorro, através da metafísica, astrologia, magia, espiritualismo, mormonismo e analisando outras culturas e religiões, passei mais de 20 anos procurando e perguntando ao Pai Celestial: Diga-me por quê Eu sou gay. Diga-me por que você me abençoou. Diga-me o porquê. Porque, à medida que envelheço, vejo que não apenas o Senhor me dá mais conhecimento da vida e do evangelho, mas também minha vida é preservada. Mesmo como um adolescente no ambiente de espiritualismo em minha família, perguntei: “Por que nasci? Por que pedi esta oportunidade de vir à Terra? Se o mundo ao meu redor não fosse para mim, se eu tivesse que desligar meu amor, minhas atrações ou desejos que sentia de amar alguém, por que vir aqui se eu sentia que nem mesmo me encaixava no modelo? ” Lembro-me de tempos na minha infância em que me perguntava até se devia usar roupas de menina ou se deveria usar roupas de menino, porque no conceito “tradicional”, diz-se, quem ama meninos são meninas e quem ama meninas são meninos. Quem sou eu, menino ou menina? e qual dos dois é a pessoa que quero ter? Muitos de nós tínhamos dúvidas semelhantes sobre a identidade e orientação sendo testadas em nossas vidas sociais, em nossas famílias, na escola, tentando descobrir como todos nos encaixamos.

Aos 33 anos, em 2010, ganhei minha total independência ao deixar a cidade onde fui criado e onde mais de 400 trabalhadores que treinei na empresa onde trabalhava e seus familiares me conheciam, e onde me conheciam 5 estacas e 24 As alas e todos os seus líderes, bispos e membros me conheciam como o secretário executivo da estaca e o solteiro mais qualificado para suas filhas. Deixei minha cidade natal, Tampico, no estado de Tamaulipas, México, e me mudei para a Cidade do México. Lá eu estava livre para me vestir e agir como eu desejasse. Também comecei uma jornada para o deserto de minha alma, onde busquei luz em lugares escuros. Ainda assim, neste deserto por 3 anos uma pequena chama permaneceu constante, minha chama interior, e eu descobri que não obstante, e para alguns isso pode parecer surpreendente ouvir, que com ou sem vestimentas, e até mesmo nos lugares mais escuros que senti meu Pai Celestial comigo, protegendo-me e removendo-me de pessoas, momentos e lugares onde eu poderia ser permanentemente ferido espiritualmente, a ponto de parecer que mesmo em alguns desses lugares escuros havia anjos, guiando outros para me proteger . Lembro-me de como um amigo meu, Carlos, que tinha HIV, me separava de pessoas que ele conhecia ter as intenções erradas, dizendo: “Não! você não é para eles! ” Hoje, Carlos não está mais conosco, mas sempre me lembrarei de seu rosto sorridente.

Em meados de 2013, minha vida começou a se voltar mais para a luz e percebi que vinha testando meu espírito até os limites, inclusive abusando da proteção, orientação e bênçãos de Deus. Foi então que decidi buscar pela última vez nos princípios budistas, nos ensinamentos de energia e no espiritualismo as respostas para o que era minha missão na terra como homem gay. Surpreso com o número de médiuns espirituais, xamãs, professores, espíritos e curandeiros, de quem as respostas eram todas as mesmas, e quando eu falaria com eles as escrituras do evangelho passariam por minha mente, especialmente o ensino de Jesus e o plano de salvação.

Foi incrível para mim. Entre as respostas que recebi - “a missão da sua vida é você” - de uma sessão com um espírita, de um astrólogo que leu minhas cartas - “você veio para aprender de si mesmo e para se conhecer e se aceitar”. A carta refletia todos os aspectos do ego. "Você nasceu na era dos aquários porque é um lutador pela luz." No templo espiritualista, eles disseram: "Deus, seu pai te ama - vê-lo nu espiritualmente e saber todas as coisas sobre você."

Eu sei que tudo isso pode soar muito estranho, mas meu motivo para compartilhar isso é mostrar que mesmo com todas as questões, lugares, doutrinas, religiões, filosofias que eu pesquisei como gays, lésbicas, bissexuais, trans ou o que quer que você seja , a resposta será a mesma: a missão de sua vida é “ser quem você é” ou, como dizem as escrituras, “Eu sou o que sou”. Não há missão especial, chamado público ou preferencial na Igreja, ou cargo no mundo que seja maior do que o outro. Todos eles são ferramentas e professores para ajudá-lo a crescer! Quando os ouvi dizer: “Você é quem você é”, entendi que, como pessoas LGBT, devemos superar os estereótipos, equívocos, ideologias e medos que podemos ter plantado em nossas cabeças.

Percebi que tinha criado ilusões de espiritualidade por algumas das coisas que somos ensinados e fazemos na Igreja, o que realmente não me deu fé e esperança a ponto de minha fome de saber me levar aos lugares mais sombrios, desconhecidos e arriscados de um esforço para encontrar uma razão. E para minha surpresa, encontrei-me face a face com a verdade do Evangelho - que “Eu sou quem eu sou”. Em vez de acreditar em uma teoria improdutiva que presume que para crescer eu deveria me casar com uma pessoa do sexo oposto em um lindo castelo da Disneylândia, tudo perfeito! Não, porque Deus me mostrou que Ele é muito mais do que isso!

Ao longo de minha vida, aprendi que as escrituras dizem que deixei a presença de meu Pai Celestial, peguei um corpo mortal feito de barro, habitei nele e que os princípios e mandamentos que Jesus ensinou eram para que meu espírito não fosse um escravo , para que as coisas terrenas não superassem meu poder espiritual. Isso não significava que eu deveria negar a mim mesma a bênção de ter um relacionamento íntimo com alguém, parar de viver, de sentir alegria. Existem muitas escrituras sobre isso. E não se trata necessariamente de fugir da igreja e de seus líderes e de quem eu realmente sou. ” No entanto, como muitas religiões e Jesus nos mostraram, trata-se de "aprender a deixar ir!"

No mês de março, durante uma difícil situação pessoal resultante de estar sobrecarregado de muitas responsabilidades, e tendo me jogado na cama, perguntei ao Senhor: “onde devo deixar para me sentir melhor?” E o Senhor, em minha mente, respondeu que “Devo deixar de lado minhas preocupações relacionadas a todos os materiais, pessoas, designações, amores, anseios, etc.” Mas uma coisa que não devo abandonar é o que está dentro de mim, que é parte de mim, que me formou, como Ele me fez. Isso é parte de mim, e esse é o conhecimento do evangelho e da espiritualidade que me foi dado como mórmon gay!

O que isso significa? Isso significava que eu precisava lembrar que escolhi nascer nesta época, neste lugar, e que o propósito de todos os espíritos, como diz D&C 93, é aumentar a inteligência e que a energia é luz e verdade que não pode ser destruído e como os astrólogos disseram, os planetas se organizaram para que você pudesse vir e tomar um corpo na terra, e como os grandes professores de energia disseram, espíritos e energias ajudaram você a se tornar quem você é de Deus e do Universo . Todas as doutrinas da luz dizem a você: você é luz, você nasceu, você assumiu um corpo, e esse corpo fará você sentir dor, medo, ansiedade, angústia, inveja, etc. - todas aquelas coisas que trazem a energia da distração ao seu propósito divino, ao qual as escrituras se referem como sendo de Satanás - tudo o que o distrai.

E por essa razão é importante abrir mão de todas as coisas. Porque, à medida que liberamos todas as coisas terrenas, o espírito cresce, à medida que você abre seus braços mais e mais como Jesus na cruz e deixa todas as coisas, seu espírito se expande. Hoje, eu só quero dizer que todos nós nascemos para retornar ao nosso Pai Celestial, mas não é como o homem vê de sua visão limitada, imaginando castelos no céu, mas simplesmente como Jesus ensinou - deixando ir essas emoções e situações que vão contra o nosso espírito. Você nasceu um indivíduo e irá progredir individualmente e individualmente trabalhamos com nós mesmos para crescer.

Muitos ficam surpresos quando digo: “Deus ri de convênios” porque não acredito que Deus precise de convênios. Deus nos abençoa com ou sem eles. No entanto, ele aceita os convênios porque você é quem precisa deles para acreditar em si mesmo, não porque ele o exige. Por favor, não tenha medo do futuro, mas creia firmemente na promessa de Jesus Cristo, que na casa de Seu Pai existem muitas mansões, muitas, e que a eternidade é milhares de milhões de milhões de fótons e fótons de tempo e luz em o universo e que quando você abre mão de todas as coisas, há apenas uma lei - a lei do amor - como quando ele disse: “quem muito ama muito é perdoado, e quem pouco ama, pouco é perdoado”. Certifique-se de que tudo o que você escolher fazer nesta vida é realmente amar e abandonar o terreno e, em vez disso, desenvolver uma vida cheia dos frutos do espírito. Além de tudo o que pode ser dito sobre a vida humana, você tem um plano único como pessoa LGBT, e que quanto mais você se entregar e amar como Cristo de braços abertos, mais receberá e voltará à presença de Deus com mais luz. Como diz Eclesiastes 3: que nada melhor do que o homem alegrar-se e viver bem, abandonando a obsessão do perfeccionismo e a necessidade de ser melhor que os outros.

Mantenha, como o Reino Unido tem defendido, sua própria essência, sabendo quem você é e o que o move internamente, o que é seu, e não mude por causa do que os outros dizem. Você pode colaborar com o resto do mundo e servi-los sem perder a essência de quem você é, dizendo: “Eu sou luz. Tenho uma frigideira única para a minha vida. ” Acredite que seus Pais Celestiais o colocaram espiritualmente aqui para ter esta vida. E como o Reino Unido, você não tem que fazer isso no tempo ou modelo de outra pessoa, porque mesmo que você pareça ser como os outros, seu plano espiritual é retornar com mais luz, sua luz em seu próprio tempo e maneira e plano. Deus lhe dará uma mão, acredite Nele, Ele o ama, Ele conhece seu plano espiritual único que o trará de volta a Ele.

Concluo minha mensagem compartilhando a frase de um famoso cantor mexicano, José Alfredo Jimenez, “Você não precisa ser o primeiro, você só precisa saber como chegar” (espiritualmente).

Em nome de Jesus Cristo, Amém.

Caro leitor: Obrigado por visitar a Afirmação hoje. Ao encerrarmos o ano de 2021, considere apoiar nosso trabalho para criar e manter comunidades de segurança, amor e esperança para LGBTQIA + atuais e ex-santos dos últimos dias e suas famílias e amigos por fazendo uma doação hoje. Sua doação agora ajudará a hospedar nossas conferências internacionais e regionais, apoiar atividades locais, sustentar nossas comunidades online, fornecer treinamento de prevenção de suicídio e garantir que a Afirmação seja capaz de promover efetivamente a compreensão, aceitação e autodeterminação de indivíduos de diversas orientações sexuais, identidades e expressões de gênero. Por favor doe agora.

Postado em:

Receba o boletim eletrônico da Afirmação com conteúdo como este em sua caixa de entrada!

Deixe um Comentário