Igreja Mórmon Faz Doação Histórica ao Grupo de Apoio LGBTQ Afirmação Para Treinamento em Prevenção Ao Suicídio

11 de julho de 2018

Publicado no The Salt Lake Tribune

Por Kathy Stephenson

Traduzido por Luiz Correa

 

A Fundação LDS, a divisão de caridade da Igreja Mórmon, doou US $ 25.000 para um grupo de apoio LGBTQ para pagar o treinamento de prevenção ao suicídio.

O presente está sendo chamado de histórico por membros da Afirmação, que dizem que é a primeira vez que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias trabalha com o grupo de apoio independente para os mórmons gays.

“Na última década, passamos muito tempo construindo um relacionamento produtivo com a Igreja SUD para criar um espaço seguro para as pessoas LGBTQ”, disse o presidente da Afirmação, Carson Tueller, em uma entrevista.

Embora a Afirmação e a igreja alterem ter diferenças em algumas áreas, em pelo menos um tópico - prevenção do suicídio - eles ignoram algo em comum.

“Este é um lugar onde nossas missões se sobrepõem e se mesclam”, disse Tueller. “Este é um bom presságio e mostra uma certa quantidade de confiança que foi construída.”

Mais do que apenas fazer história, no entanto, a doação também pode salvar vidas, disse Tueller, porque permitirá que os líderes da Afirmação se tornem instrutores certificados de prevenção do suicídio.

“Esperamos que esta doação da Fundação LDS à Afirmação ajude na prevenção do suicídio entre os Mórmons LGBTQ + em todo o mundo e também seja um encorajamento para os membros SUD, bispos, presidência dos Rapazes e Moças e outros que participam com jovens mórmons para tirar proveito dessas afirmações. oportunidades de treinamento conosco ”, disse Tueller em um comunicado à imprensa.

“Não podemos fazer isso sozinhos”, acrescentou, “somente trabalhando podemos começar a alcançar todos que precisam ser alcançados dentro e fora da igreja”.

Um dos principais institutos de treinamento em prevenção de suicídio, o QPR - Question, Persuadir e Referir (Perguntar, Persuadir e Referir) - treinará líderes da Afirmação, que por sua vez treinarão membros em todo o mundo em inglês, espanhol e português.

“Estamos comprometidos em trabalhar com parceiros da comunidade para ajudar a prevenir o suicídio e esperamos que essa contribuição apoie esta causa importante”, disse o porta-voz da Igreja SUD, Doug Andersen, em um comunicado. “Estamos conscientes que estão lutando e incentivando-los a buscar ajuda.”

A afirmação foi fundada em 1977, numa época em que a admissão de atração pelo mesmo sexo entre os fiéis mórmons era uma questão de turbulência interna, vergonha profunda e rejeição religiosa - até mesmo uma causa de suicídio.

Um grupo de ativistas da Universidade Brigham Young queria garantir que os mórmons gays eram amados e não sozinhos, enquanto se esforçavam para impedi-los de se matar. Em pouco tempo, os capítulos surgiram em Salt Lake City, Denver, Los Angeles e, finalmente, em todo o país, bem como no exterior.

Na época, uma Igreja SUD via homossexualidade como perversa e pecaminosa, e seu amor como profano. Qualquer aceitação de gays tinha que ser sussurrada.

Desde então, houve uma mudança radical entre a Igreja SUD e seus membros gays.

A Igreja SUD de hoje diz que ser gay não é um pecado, apesar de agir de acordo. Continue a se opor ao casamento gay, apesar de apoiar como medidas anti-discriminação de Salt Lake City e Utah.

Tueller disse que uma das principais prioridades estratégicas da Afirmação em 2018 tem sido preparar melhor seus membros e líderes com informações sobre trauma e prevenção de suicídio.

Em fevereiro, os líderes da Afirmação se reuniram com o Departamento de Relações Públicas da Igreja SUD para solicitar financiamento para treinamentos suicidas. Em abril, a Fundação SUD concedeu os US $ 25.000 solicitados.

Nos próximos três anos, os instrutores de prevenção de suicídio realizarão treinamentos em todas as relações da Afirmação realizada em todo o mundo. A afirmação também disponibiliza treinamentos on-line sobre prevenção de traumas e suicídios sem custo para membros da Afirmação e outros.

A taxa de suicídio de jovens em Utah cresceu em ritmo alarmante, de acordo com estudos recentes conduzidos pelos Centros Federais de Controle e Prevenção de Doenças. A taxa de suicídio do estado entre os jovens de 10 a 17 anos mais do que dobrou de 2011 a 2015. Ela evoluiu a um ritmo anual quase quatro vezes mais rápido do que a média nacional.

Ao todo, 150 jovens morreram por suicídio ao longo do período de cinco anos.

Na semana passada, a Igreja SUD lançada uma nova série de vídeos pede compaixão e amor para aqueles que experimentam pensamentos suicidas e se sentem marginalizados. O apóstolo Mórmon Dale G. Renlund também denunciou como “totalmente falsa” a “velha noção sectária de que o suicídio é um pecado e que alguém que comete suicídio é banido para o inferno para sempre”.

Se você ou alguém que você conhece está sofrendo de depressão ou pensamentos suicidas, ligue para um CVV Telefone 188 ou visite o site onde você pode conversar com alguém por texto ou bate-papo.

 

Caro leitor: Obrigado por visitar a Afirmação hoje. Ao encerrarmos o ano de 2021, considere apoiar nosso trabalho para criar e manter comunidades de segurança, amor e esperança para LGBTQIA + atuais e ex-santos dos últimos dias e suas famílias e amigos por fazendo uma doação hoje. Sua doação agora ajudará a hospedar nossas conferências internacionais e regionais, apoiar atividades locais, sustentar nossas comunidades online, fornecer treinamento de prevenção de suicídio e garantir que a Afirmação seja capaz de promover efetivamente a compreensão, aceitação e autodeterminação de indivíduos de diversas orientações sexuais, identidades e expressões de gênero. Por favor doe agora.

Postado em:

Receba o boletim eletrônico da Afirmação com conteúdo como este em sua caixa de entrada!

2 comentários

  1. Sandra Santos em 10/09/2019 às 8:55 PM

    Meu irmão Willame Lopes Campelo, 47anos, ex missionário, tinha da igreja. Sofria depressão, gay. Quiz varias vezes retorna a igreja, porem nunca se apologiado apoiado. Se ele morasse nesse País que a igreja se preocupa com os membros talvez nao teria cometido suicídio. Sou firme no evangelho, casada no templo. Mas sei o quanto o Senhor nos ama.

    • Luiz Correa em 02/10/2019 às 9:50 AM

      Sandra, meus sentimentos. Sabemos como é doloroso para nós que somos membros da igreja e LGBT. É preciso muita força e apoio familiar neste momento difícil. Eu sou membro da igreja, ex missionário também me chamo Luiz Correa, fui casado e selado no templo tenho duas filhas, para eu poder me aceitar homem gay foi muito difícil também, sei que o Pai celestial nos ama profundamente e ele reconhecemos nossos esforços para estar ao seu lado.

Deixe um Comentário