Ir para o conteúdo

Procurar

Lição 18 do Sacerdócio / Sociedade de Socorro: “Cuidado com o Orgulho”

livros abertos

5 de setembro de 2015

Currículo 2015
Considerações LGBT
Lição 18 do Sacerdócio / Sociedade de Socorro: “Cuidado com o Orgulho”
Data de ensino aproximadamente programada: domingo, 20 de setembro de 2015

Esta lição contém as seguintes afirmações:

“Nas escrituras, não existe orgulho justo - ele sempre é considerado pecado.

Portanto, não importa como o mundo usa o termo, devemos entender como Deus usa o termo,

podemos entender a linguagem das escrituras sagradas e lucrar com isso. (p. 232)

“Pense em muitos que são membros menos ativos da Igreja porque foram ofendidos e

seu orgulho não permitirá que eles perdoem ou jantem inteiramente à mesa do Senhor ”. (p. 237)

“Podemos escolher nos humilhar vencendo a inimizade para com nossos irmãos e irmãs,

estimando-os como a nós mesmos e elevando-os tão alto ou mais alto do que nós. ” (p. 238)

___________

O orgulho sempre foi visto como um dos maiores pecados, porque leva a muitos outros pecados. O Livro de Mórmon está repleto de exemplos de pecados cometidos por aqueles cuja trilha descendente começou com orgulho. No entanto, essa palavra ganhou tanto “papo furado” na igreja que qualquer conotação quase se tornou um tabu. Por isso, o Presidente Dieter Uchtdorf fez um clássico discurso da conferência geral (Orgulho e o Sacerdócio, A Liahona, 11/2012, p.55) para ajudar os membros a compreender que nem todo orgulho é considerado pecado. Tal desenvolvimento pode ser outro exemplo da importância do contexto, bem como da semântica e de como o significado das palavras muda e evolui com o tempo.

A declaração a respeito de membros menos ativos, cujo orgulho não lhes permite perdoar os outros, deve ser contrabalançada pela mensagem intencional ou não intencional do remetente. Muitos membros LGBT e suas famílias passaram por comentários ou comportamentos ofensivos de outras pessoas que os levaram a ser menos ativos, de coração, se não de fato. Idealmente, os membros ofendidos devem tomar a iniciativa de reconciliar o assunto (D&C 42:88), mas se eles se sentirem muito envergonhados ou ofendidos para fazê-lo, a humildade e o amor pelo próximo devem fazer com que o membro ativo tome a iniciativa de resolver o assunto com amor dez vezes. Muitos de nós podem se lembrar de uma época em que guardamos rancor, mas finalmente fomos para a parte ofensora com o desejo de deixar tudo para trás e sentimos o peso do rancor tirado de nós mesmos quando nos reconciliamos no amor. Esperar que a outra pessoa dê o primeiro passo é simplesmente outra forma de orgulho que não tem lugar no céu, na igreja ou no coração.

A citação final a respeito de nos humilharmos elevando os outros ao nosso nível também pode ser o orgulho da pele de cordeiro. Devemos ser humildes o suficiente para considerar que, considerando todas as coisas, podemos precisar ser elevados ao nível do outro, que podemos aprender algo valioso com a outra pessoa sendo mais ensináveis e menos críticos.

Deixe um Comentário





Role para cima